Escolha uma Página

Involução

Dizem que as plantas são as formas mais inferiores de vida. Depois viriam os animais, mais evoluídos. E por último viria o ser humano, expoente máximo da evolução no planeta, com consciência e fala e inventos e o polegar que faz tantas coisas (ultimamente serve mais pra dar “joinha”, ou “curti”). Pois eu digo que estamos vendo tudo ao contrário. O ser humano, pra mim, seria a forma mais grotesca de vida nesse planeta. O único que mata por crueldade, o único que tortura, o único que toma mais pra si do que precisa, o único que acha que as coisas do planeta são suas. Ganancioso, violento e ignorante, altamente destrutivo de si, dos outros e do seu habitat, um parasita suicida que se multiplica até matar o hospedeiro. O único que mata para possuir algo que é do outro.

Já os animais seriam mais evoluídos que nós. Vivem em harmonia. Não prendem, maltratam ou matam outras espécies, a não ser que seja para comer, íntegros em seu instinto de sobrevivência e fiéis à sua natureza, sujeitos à uma cadeia alimentar que está além deles, fora do seu controle. Não desejam possuir nada a não ser a refeição do dia e um canto para se deitar. Há os mais territorialistas, é verdade, mas é um algo diferente do homem, do ser humano. É contido em espaços limitados e em equilíbrio com o resto, nada de crueldade gratuita! Em diferentes graus de evolução, também há os que não matam para comer, vivem de plantas. Vivem do que encontram, sem causar destruição. Se eu fosse bióloga eu descreveria isso de uma forma melhor.

Os mais evoluídos de todos seriam as plantas. Não matam para comer nem comem outras plantas. Vivem de nutrientes da terra, água e luz. As carnívoras decerto são as mais próximas dos animais, porque ainda precisam comer insetos. Outras, como as orquídeas, nem de terra não precisam. Só luz e umidade. Certeza que tem erros no meu raciocínio, e decerto maneiras mais belas de dizer o que estou dizendo, falando sobre as particularidades de cada espécie. Mas o importante é poder imaginar que o inverso do que acreditamos pode ser verdadeiro.

Reforço que esse texto é uma ficção romanceada e não científica da evolução. Talvez possa ser olhada pelo lado espiritual, que sei eu?

No meu tempo de criança haviam três reinos: animal, vegetal e mineral. Hoje tem mais coisas e eu não acompanhei com detalhes, nunca mais estudei biologia. Mas tem fungos e outras coisas que eu não lembro. Vírus, dizem, não é ser vivo. Acho que depois das plantas o mais evoluídos seriam os fungos e por fim os minerais. Os minerais tão eternos e sem juízo de valor, não precisam de nada para continuar sendo, são uma manifestação de existência. E deles vêm toda a vida. Água, rochas. Nuvens, montanhas, minérios. Encontro conforto nessa ficção do contrário. Na verdade não estaríamos evoluindo. Estamos involuindo, regredindo. E a sensação de estarmos indo adiante no tempo é porque devido a ilusão causada pelo ponto de vista invertido, de estarmos olhando a vida ao contrário. Estaríamos verdadeiramente voltando no tempo. Voltando de um sonho e acordando para um pesadelo do verdadeiro passado, a barbárie.

No verdadeiro futuro, que fica no passado, seremos animais. Depois plantas. E terminaremos como grãos de areia, rocha, água, vivendo de recordações inscritas em nossa moléculas que já não se replicam. Nem vivos nem mortos, só história e aridez e paz e silêncio. E recordações. Como em Marte ou na Lua. Porque vida, caríssimos, é sempre devorar outra vida para continuar. Quem sabe tenho sorte e na próxima encarnação eu venha como um enxame de abelhas. Se eu evoluir posso ganhar o direito de ser um pomar, depois uma cachoeira e terminar como um grão de areia no meio de tantos bilhões de outros grãos, ninguém devorando ninguém.

Rossana Giansante Bocca
31/03/2020

Galerias com minha arte

Galerias com minha arte

Você encontra meus trabalhos de Colagem Digital nesses 4 posts, já são 46 colagens até o momento.
Update: eu havia me esquecido das colagens produzidas entre 2015 e 2017, agora acrescidas aqui.
*as imagens serão vistas melhor em telas maiores que o celular*

Post Retroativo 001 – Artes 2013

Post Retroativo 004 – Artes 2015, 2016, 2017

Post Retroativo 002 – Artes 2018

Post Retroativo 003 – Artes 2019

Grávida de Açafrão

Ontem a inspiração estava para criação artística, então passei o dia fazendo uma representação do feminino. Chama-se Turmeric Pregnant. Em português quer dizer Grávida de Açafrão (na verdade é Grávida de Cúrcuma, mas aqui no Brasil também chamam a raiz de cúrcuma de “açafrão” pois a cor é similar a do tempero italiano.

Abaixo você pode ver os elementos que usei para criar essa arte. E se quiser conhecer outros trabalhos meus, estão por enquanto no Pinterest https://br.pinterest.com/rossanagbocca/artes-que-fiz-rossana-giansante-bocca/ e também no meu perfil do Facebook.

Post Retroativo 003 – Artes 2019

Post Retroativo 003 – Artes 2019

Colagens digitais feitas no photoshop em 2019, inclusive com trabalhos anteriores à fundação deste blog Dixxi.com.br

Post Retroativo 002 – Artes 2018

Post Retroativo 002 – Artes 2018

Colagens digitais feitas no photoshop em 2018, publicadas em 22/10/2019, retroativamente.

Post Retroativo 004 – Artes 2015, 2016, 2017

Post Retroativo 004 – Artes 2015, 2016, 2017

Colagens e artes digitais feitas no photoshop entre 2015 e 2017.

Post Retroativo 001 – Artes 2013

Post Retroativo 001 – Artes 2013

Colagens digitais feitas no photoshop em 2013, publicadas em 22/10/2019, retroativamente.

Pin It on Pinterest